Solitude, darkness and love


"I don't wanna admit, but we're not gonna fit"

sábado, 28 de julho de 2012

Uma Ideia

Prometendo todas as coisas do mundo
e brincando com os melhores corações
Das formas intrínsecas
ao que nossa lei funciona
São verdades, os alicerces de nossas chagas
Moscas sobre o prato e um filho adormecido
Um cantar bêbado de inconveniências e poucas
muito poucas, essas chances que haverão
E há de se esperar
Tudo por alguns, e nada por todos
É como eu gosto
Imaginar uma vida sem barulhos
Palavras enormes, exorbitantes, gigantescas
Porque apenas acordar já bastava
Fechar os olhos e fingir dormir também
É essa a minha ideia
A ideia de um fantasma, de um quase-humano
Vamos nos decepcionar juntos
O mundo não espera por aqueles que idealizam demais
Por aqueles que afundam suas pálpebras nos mais
estrondosos, esplêndidos sonhos
Os sonhos, eu os ponho num pote
Guardo-os em cima das estantes
Ou os escondo nos depósitos de um porão
Mas essa não é a verdade dos sonhos
Tampouco a minha verdade
Essa não é uma expectativa
Tampouco uma idealização
Essa não é a vida que eu imagino
Para o que não haverá
E talvez eu imagine apenas
Uma sombra gentil
Silenciosa, afável, suficiente
Ao meu lado.
E essa pode não ser a maior das verdades
Ou o mais belo dos sonhos
Mas é o meu escapismo







~








Verano

Nenhum comentário:

Postar um comentário