Solitude, darkness and love


"I don't wanna admit, but we're not gonna fit"

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Stigmatized


Eu montei uma casa para nós
Porque você costumava me fazer chorar
E você me ajudou a construí-la
Com seus tijolos de gentileza desmesurada
Uma casa que durou por não-sei-quanto-tempo
E foi uma forma de prazer
Essa aproximação, esses gestos
Abraços tão poucos em olhares por menos
Devemos desfazer isso juntos
Por ser uma decisão tão instintiva?
Essa nossa casa, esse nosso pequeno apego?
Diga olá para a vida que aprendeste a suportar
Em dias que se fazem de mudanças
Mantenha-me fixo, ou posso aprender a voar
Mantenha-me preso, não que eu queira respirar
Eu posso não ser o mesmo
E por várias vezes
Nunca serei o mesmo
É assim que meus mecanismos funcionam
Minhas regras ocultas, meus muros de um país perdido
Alguma coisa que se lembra que não dá pra voltar
Nada funciona, não como a fé
Nada funciona, não como eu quero
Eu vou orar por você
E orar por essa decisão
E poderia de todas as formas me impedir
E talvez nunca mais eu lhe convide
Isso me entristece.
Eu posso ter essa liberdade
De imaginar um quarto com trombas d'água saindo
das minhas chagas e chegando até os seus olhos
enquanto tiras tuas calças e mordes as minhas coxas
com uma paixão que só sobre o meu corpo podes
depender?
Me intervenha
Faça valer à pena minha destruição.
Me impeça, me prove, e então
Me desmorone também.







~









Andrew Oliveira
Photografia: Brooke Shaden

Nenhum comentário:

Postar um comentário