Solitude, darkness and love


"I don't wanna admit, but we're not gonna fit"

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Erotica - Uma nova tag!


Olá pouco povo (?) que acompanha o meu blog. Como vão? Eu vou ótimo, bem inspirado, aliás!
Pois bem, como já deve estar bem claro por aqui nesta página quase anônima, o que eu costumo escrever não é bem direcionado para um público infanto-juvenil. Minha literatura é carregada de erotismo e, na maioria das vezes, carregada de cenas fortes.
E este é o ponto.
Vou abrir por aqui uma nova tag, especialmente para contos eróticos que eu escrevo em tempos tediosos e não muito inspiradores. Como foi o caso de Lolito de Marte, a história que fiz num momento inapropriado e que fui praticamente ordenado a desenvolver e terminar (escrevi 11 páginas e meia em três dias).
Claro que não vou abandonar Witch Fire, pois este é o mês das bruxas, o ano novo celta, a grandiosa e misteriosa chegada de Samhain, que infelizmente virou motivo de piada e caricatura por parte da cultura americana, com crianças vestidas de zumbis, fantasmas e esqueletos pedindo doces de casa em casa. Tirando o maior sarro dos meus ancestrais, os pagãos, as bruxas e até as tênues linhas que separam mundos e dimensões.
Mas enfim. Acredito que quem leia o meu blog (seja lá que fantasma for), não tenha a mente suficientemente fechada para esse gênero literário mais pesado.
As cenas que costumo escrever costumam estar na mesma “temperatura” homeotérmica da história central, com um pouco de poesia e sentimentos nostálgicos, do jeito que eu gosto de caprichar. Este primeiro conto que escrevi é exatamente o contrário de todo o meu gênero literário: a narração é pouco descritiva, as personagens são fáceis de compreender e de ler, e as cenas de sexo são imundas, cheias de palavrões e palavreados pouco pensáveis. Se é que vocês me entendem.
É. Exatamente assim. Pensem nestes textos como mais uma “descontração” do blog. E de mim mesmo como escritor também. Confesso que achei super divertido escrever uma história no qual o único enredo e clímax são as cenas de sexo. Não há segredos avassaladores de famílias antigas, traições, duas-caras, vilões/mocinhos, protagonistas sofredores e santificados no final, etc. O que não posso dizer o mesmo de Witch Fire.
Garanto que quem acompanha Witch Fire terá agradáveis surpresas, pois estou me esforçando ao máximo para nunca desacelerar o ritmo da série. Quer dizer, com excessão do capítulo 01, que é mais uma pequena apresentação, e a visão dos moradores de Clevelier em relação à Ammaleth e Auguste. Os dias 29, 30 e 31 terão ótimos e grandes capítulos. Aguardem! E aguardem também a futura primeira postagem desta nova tag, o “Lolito de Marte”.





~





Black Cherry e Andrew Oliveira
Photo: David LaChapelle

Nenhum comentário:

Postar um comentário