Solitude, darkness and love


"I don't wanna admit, but we're not gonna fit"

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Aurora: Prólogo

Estudo Científico - Corona Solaris
-Arquivo Confidencial-

Relatos no mundo se espalham e disseminam a mente das pessoas, desesperadas por fé por sexo, por luz e escuridão. Corona Solaris, ilusão ou fato? Humano ou monstro? Um deus ou um diabo? Ninguém realmente tem certeza, nem quem já viu ou sentiu para contar histórias, e talvez nem nós tenhamos. Nós, netos e bisnetos dos netos e bisnetos fundadores da Sociedade Secreta Karma Mortem, resistente há mais de duzentos anos nesse mundo impetuosamente misterioso. Temos um único objetivo, encontrar o dançarino dos céus e pai do sol e da aurora, Corona Solaris, que, como o volúvel Dionísio, pode se transformar e fugir das tochas, mas sempre deixando sua marca, boa ou ruim? Apenas estranha, e inesquecível.
Descoberto recentemente por nós, a Karma Mortem, desenhos sobre possíveis endeusamentos a Corona Solaris em vasos e esculturas maias, onde agricultores parecem oferecer as foices usadas na colheita de trigo para esta estranha criatura que brota de um céu avermelhado, e pisa sobre vossas cabeças submissas. Coincidentemente, há pinturas muito parecidas nas pinturas egípcias, e nas pinturas ocultas de certos jesuítas, o que aumenta a hipótese de que Corona Solaris não é apenas um imortal metamorfósico, é também um deus.
Mas não é apenas isso, há uma profunda e perturbadora história de um jovem que se envolveu com Corona Solaris, e tem provas sobre isso, se ele escondeu coisas, até hoje isso é um mistério.
- Entrevista cedida por Arthur Martyr, em 1904, na época, 22 anos completados em Abril. Arquivo guardado num cofre para evitar maiores problemas. Atualmente, Arthur Martyr se encontra no cemitério Black Soul, ele cometeu suicídio em 1909, antes dos 27 anos. -
P: Seu nome?
Arthur: Arthur Martyr le Mar
P: Nome estranho para um garoto tão bonito.
Arthur: Meu pai quem quis assim.
P: Quantos anos tem, Arhtur?
Arthur: Vinte e dois anos, fiz aniversário recentemente.
P: Você parece nervoso, quer um pouco de água?
Arthur: Não obrigado, vamos terminar logo com isso.
P: Como quiser.
Arthur: E aí?
P: Desculpe, pensei ouvir alguém me chamando.
Arthur: Claro...
P: Arthur, nós descobrimos uma coisa curiosa. Descobrimos que viu Corona Solaris.
Arthur: Eu não vi, eu vivi ao lado dele desde os meus dezessete anos.
P: Você tem certeza de que era ele?
Arthur: Tenho, ele aparentemente ficava apreensivo quando eu o chamava de Corona Solaris sem querer, ele sempre me pedia para chamá-lo de Rodrigo, assim ele se sentia melhor e menos ér... chamativo.
P: Chamativo?
Arthur: Imagine por exemplo, você estar ao lado de Jesus, e ele pedir para você chamá-lo por outro nome, apenar para não causar tumulto e sobressalto nas pessoas ao seu redor.
P: Como um ídolo disfarçado?
Arthur: Isso, e o mais estranho é que sempre andávamos em público.
P: Agora, me diga Arthur, como era a relação de vocês?
- O restante da entrevista está nas páginas roubadas por um grande assalto, quando destruíram nossa casa de encontros por acharem que somos satânistas, sem mais detalhes.-








~









Karma Mortem

Nenhum comentário:

Postar um comentário