Solitude, darkness and love


"I don't wanna admit, but we're not gonna fit"

quinta-feira, 15 de abril de 2010

LUNGS




Não sei se digo que meu dia foi feliz, de certa forma foi, conversei e ri com meus novos e poucos amigos do Podium, passei a tarde dormindo, ao acordar pelo fim vespertino estudei, depois larguei os estudos e ouvi Björk até dizer "chega", esse poderia ser o dia mais normal do mundo, se eu quisesse, mas meu carma não deixou que fosse.

Pois, quando foram pronunciadas aquelas palavras de parabenização, senti que meu coração quis dançar loucamente e gritar mais do que qualquer poema que eu já tenha escrito na minha curta vida, e estranha adolescência, minha respiração acelerou, eu não sabia se ria ou se chorava, se jogava na cara do meu irmão que, naquele momento, eu havia vencido, com a ajuda de amigos, claro, mas não mudava o fato de que eu havia voltado para o topo, eu voltei para o topo!
As palavras que minha mãe disse foram tão doces para os meus ouvidos quanto o ar de felicidade que entrava nos meus pulmões:

- Teu livro foi pra Brasília, filho.



























~















Eu venci!


















Andrew Oliveira, beijinhos ;*

Nenhum comentário:

Postar um comentário